Vida e obra de Tucídides

“Duvido seriamente de que, um homem que não tenha pelo menos repassado em sua mente a época da Guerra do Peloponeso e a queda de Atenas, possa refletir com plena sabedoria e profundas convicções a respeito de certos temas das relações internacionais de hoje.” (George C. Marshall, secretário de Estado dos EUA em 1947).

 

Busto de Tucídides.

Busto de Tucídides.

Tucídides nasceu em Atenas no distrito de Halimunte, não se sabe ao certo sua data de nascimento porém se tem indícios de que foi entre os anos de 460 e 455 a.C. Pertencente à aristocracia ateniense, Tucídides recebeu uma educação privilegiada dos mais brilhante filósofos e políticos de sua época com Péricles, o filósofo Anaxágoras, dos sofistas como Górgias, do político e orador Antifon. Frequentou os mesmos círculos de figuras proeminentes como Sófocles e Eurípides.

Existem relatos do próprio Tucídides que desde sua adolescência ele já reconhecia a sua vocação de historiador. Contudo, Tucídides foi um general comandante das tropas atenienses durante o período da guerra do Peloponeso. Recebeu o cargo de general (strategos)tornando-se, assim, um dos dez mais proeminentes líderes militares e políticos em Atenas, possuindo o controle das minas de ouro e também grande influência entre os líderes da região. No período de 424 a.C em que foi general, comandou a força naval de Atenas na região da Trácia, e enquanto em seu cargo, não conseguiu defender a região do ataque surpresa do brilhante general espartano Brasidas. Culpado pela derrota foi exilado de Atenas durante 20 anos em que a Guerra do Peloponeso ainda duraria e, por esse motivo, pode se dedicar integralmente para escrever sua principal obra a “História da Guerra do Peloponeso”. Passados 20 anos Tucídides pode retornar a Atenas e poucos anos depois (em 400 a.C) morreu sem poder terminar sua obra.

"Tucídides em exílio", N. Prescott-Davies, 1915

“Tucídides em exílio”, N. Prescott-Davies, 1915

Tucídides revolucionou com seu diferenciado método de se escrever sobre a história,  preocupando-se com a objetividade e com os detalhes para se tratar sobre a realidade. Como relatado pelo mesmo, ele afirma que procurou ser tão objetivado sobre a realidade dos fatos, para que assim sua obra pudesse servir como um “patrimônio sempre útil”, sendo usada como uma referência aos fatos e sua desenvoltura caso viessem a ocorrer de forma parecida em algum momento na história da humanidade.

Dessa forma, assim como pretendia, Tucídides contribuiu para a posterioridade com sua obra, esta que sempre se faz útil mostrando os primeiros dilemas para as relações internacionais. Tucídides de fato contribuiu de forma tão grande para o campo de estudo das relações internacionais que umas das primeiras correntes teóricas, o realismo clássico, utilizou dos dilemas e as consequências descritas por Tucídides como objeto de estudo para tentar responder as questões internacionais do mundo moderno.

 

Manuscrito do livro História da Guerra do Peloponeso.

Manuscrito do livro História da Guerra do Peloponeso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s